Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Abono de Permanência

Acessos: 3444

Clique para verificar os procedimentos e documentos necessários.

DEFINIÇÃO

O Abono de Permanência é um incentivo, criado pela Emenda Constitucional nº 41, de 19 de dezembro de 2003, publicada no D.O.U. de 31/12/2003, pago ao servidor que já preencheu todos os requisitos para se aposentar, mas opta por permanecer na ativa. Portanto, para requerer tal benefício o servidor não pode estar aposentado.

Deferido o Abono, o servidor continua recolhendo a contribuição previdenciária, mas recebe o Abono de Permanência em retribuição, em valor idêntico, na mesma folha de pagamento.

 

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA INSTRUIR O PROCESSO

 

FLUXO DO PROCESSO

LOCAL ATIVIDADE
Solicitante  Abre o processo com a documentação solicitada.
DGP/Progep Realiza a análise documental. 
DRM/Progep Verifica se o servidor tem direito ao abono. Se positivo, realiza a emissão da portaria.
Reitoria Assinatura da Portaria. 
DGP/Progep Publicação da portaria.
DRM/Progep Encaminha a Portaria ao solicitante e realiza os devidos registros. 
DPAG/Progep Realização dos ajustes financeiros, se necessário.
Arq. Setorial /Progep Arquivo na pasta setorial do servidor.

 

Legenda:

  • DRM/Progep: Divisão de Registro e Movimentação/Progep
  • DGP/Progep: Divisão de Gestão de Processos/Progep
  • DPAG/Progep: Divisão de Pagamento/Progep

 

 INFORMAÇÕES GERAIS

O servidor que preencher os requisitos para se aposentar tem direito a receber os valores retroativos à data em que cumpriu todos os requisitos da regra de aposentadoria utilizada, limitada, em qualquer caso, à data de 31/12/2003, uma vez que o instituto do Abono de Permanência somente passou a existir a partir desta data, com a entrada em vigor da Emenda Constitucional nº 41/2003.

O Abono de Permanência será concedido com base na regra mais benéfica ao requerente, e ainda, conforme opção do requerente, pode-se computar na forma convertida (em dobro) os períodos de licença-prêmio não gozados.

Ressalta-se ainda que a aplicação de determinada regra de aposentadoria para fins de concessão do Abono de Permanência não vincula o servidor a aposentar-se por esta mesma regra, podendo aposentar-se por qualquer outra, desde que cumpridos todos os seus requisitos legais.

 

CONTATOS

Divisão de Registro e Movientação/Progep - DRM/Progep

 email 102148 cadastro@ufra.edu.br

 

LEGISLAÇÃO

  • § 19 do Art. 40 da Constituição Federal de 1988, combinado com o § 1º inciso III, alínea “a”;
  • § 5º do Art. 40 da Constituição Federal de 1988;
  • Art. 8º, caput, e § 4º, da E.C. nº 20/98, c/c § 1º do art. 3º da E.C. nº 41/03;
  • Art. 2º, § 5º da Emenda Constitucional nº 41/2003, c/c caput e § 4º do mesmo artigo;
  • Art. 8º, § 1º, I, da Emenda Constitucional 20/1998, combinado com o § 1º do Art. 3º da Emenda Constitucional 41/2003;
  • Art. 110, inciso I, da Lei nº 8.112/90, DE 11/12/90. (DOU 12/12/90);
  • Emenda Constitucional nº 41/2003;
  • Nota Técnica nº 772/2009/COGES/DENOP/SRH/MP;
  • Nota Técnica nº 12/2010/COGES/DENOP/SRH/MP de 13/01/2010;
  • Nota Técnica nº 283/2011/COGES/DENOP/SRH/MP de 13/06/2011;
  • Lei nº 10.887, de 18/062004 (DOU 21/06/2004);
  • Nota Informativa nº 315/2011/COGES/DENOP/SRH/MP de 01/04/2011;
  • Nota Técnica nº 59/2011/COGES/DENOP/SRH/MP de 07/02/2011.

 

PROCESSO FORMALIZADO EM MODO:   ( x ) DIGITAL   (  ) FÍSICO

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO DO PROCESSO:  28/08/2020

Voltar para o Manual do Servidor

registrado em:
Fim do conteúdo da página