Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Exercício provisório

Acessos: 299

DEFINIÇÃO

Ocorre quando é conferido ao servidor que esteja em licença por motivo de afastamento do cônjuge ou companheiro, que também seja servidor público civil ou militar, de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, a possibilidade de ter exercício em órgão ou entidade da Administração Federal direta, autárquica ou fundacional, desde que para o exercício de atividade compatível com o seu cargo. Dessa forma, o servidor poderá continuar percebendo remuneração pela Instituição de origem durante a licença.

INFORMAÇÕES GERAIS

  • O exercício provisório poderá ocorrer em qualquer órgão ou entidade da Administração Federal direta, autárquica ou fundacional;
  • Compete ao Ministério da Educação (MEC) a análise do processo, decisão e publicação do ato de efetivação do exercício provisório no Diário Oficial da União, devendo o processo estar corretamente instruído antes do envio ao MEC;
  • A solicitação será aceita desde que para o exercício de atividade compatível com o seu cargo;
  • O deferimento do exercício provisório está condicionado aos seguintes requisitos:
    1. deslocamento do cônjuge do servidor para outro ponto do território nacional ou para o exercício de mandato eletivo dos Poderes Executivo e Legislativo,
    2. exercício de atividade compatível com o seu cargo, e
    3. transitoriedade da situação que deu causa ao deslocamento do cônjuge

 

REQUISITOS BÁSICOS

Ser ocupante de cargo público em caráter efetivo do quadro próprio da Instituição.

 

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA

O processo deverá ser protocolado e encaminhado à PROGEP com 30 dias de antecedência do início da licença, instruído, necessariamente, com os seguintes documentos:

  • ato que determinou o deslocamento do cônjuge ou companheiro;
  • análise atestando a compatibilidade entre as atividades a serem exercidas com aquelas afetas ao cargo efetivo;
  • documento que comprove que o cônjuge ou companheiro que foi deslocado é servidor público ou militar, de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios;
  • Comprovante de vínculo matrimonial (cópia de certidão de casamento ou de união estável), firmada em cartório e com data anterior ao deslocamento
  • Anuências dos órgãos e entidades envolvidos;
  • Solicitação formal do órgão ou entidade interessada no exercício provisório do servidor, encaminhada ao Reitor da UFRA, informando a disponibilidade para aceitação do servidor em exercício provisório em atividade compatível com o seu cargo, bem como o compromisso do envio mensal da frequência à instituição de origem.

 

FLUXO DO PROCESSO

 LOCAL AÇÃO  
Solicitante  Formaliza processo com a documentação necessária 
DGP/PROGEP  Análise documental e verificação a impedimentos legais (férias afastamentos). Caso necessite de ajustes, devolve ao solicitante.
Pró-Reitor  Análise e parecer quanto a solicitação.
Progep  Emissão e encaminhamento do ofício ao MEC
DRM/PROGEP  Após a autorização do MEC,  realiza os devidos registros
DPAG/PROGEP   Realiza os ajustes financeiros 
Arq. Setorial  Arquiva na pasta funcional do servidor

 

LEGISLAÇÃO

  • Orientação Normativa nº. 03 SRH/MP-2002.

 

PROCESSO FORMALIZADO EM MODO:   ( x ) DIGITAL   (  ) FÍSICO

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO DO PROCESSO:  28/08/2020

Voltar para o Manual do Servidor

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página